Vitamina D em Pacientes com DHGNA

Estudos Científicos
23/jan/2023

Auxilia na Diminuição do Grau de Esteatose e de Fibrose Hepática



Vitamina D em Pacientes com DHGNA

Auxilia na Diminuição do Grau de Esteatose e de Fibrose Hepática


A DHGNA (Doença Hepática Gordurosa Não-Alcoólica) é um problema de saúde pública em todo o mundo, está relacionada com o sobrepeso, resistência à insulina (RI), dislipidemia e é considerada como um preditor para a síndrome metabólica.


A DHGNA é considerada uma doença de causas multifatoriais, sendo as principais condições relacionadas:

 

Ø  Obesidade;

Ø  Diabetes;

Ø  Dislipidemia;

Ø  Resistência à insulina.

 

Além disso, já foi estabelecido também que biomarcadores pró-inflamatórios (leptina, TNF-alfa e IL-6) e os anti-inflamatórios (adiponectina) exercem papel essencial na patogênese da DHGNA.


Vitamina D e DHGNA

A vitamina D exerce uma variedade de funções que vão desde a homeostase óssea, regulação da imunidade, efeitos anti-inflamatórios, participa de vários processos de proliferação e diferenciação celular. Os receptores da vitamina D são encontrados em uma grande variedade de tecidos, incluindo: células hepáticas não parenquimatosas, células beta-pancreáticas e nos hepatócitos.


A vitamina D também age na redução da transcrição de citocinas pró-inflamatórias que podem agravar a DHGNA, como a interleucina IL-1, IL-6 e o fator de necrose tumoral (TNF-a). Essa vitamina age na diminuição da transcrição gênica NF?B (fator de transcrição envolvido no controle da expressão de diversos genes ligados à resposta inflamatória.


A deficiência de vitamina D está estimada em 30 a 50% da população adulta e está associada com alterações metabólicas. Em indivíduos com DHGNA e deferência de vitamina D há um maior grau de lesões hepáticas e uma evolução mais acelerada da fibrose. Estudos clínicos têm demonstrado que a suplementação de vitamina D em pacientes com DHGNA melhora os parâmetros bioquímicos associados com essa patologia.



Estudo comprova

Vesna et al. (2020) conduziram um estudo que teve como objetivo avaliara os efeitos da vitamina D3 na esteatose hepática e nos marcadores da fibrose do fígado em pacientes adultos com a Doença Hepática Gordurosa Não-Alcoólica (DHGNA).


Resultados

Ø  A esteatose e a fibrose hepática foram gradualmente reduzidas no grupo tratado com a vitamina D e aumentaram no grupo tratado com o placebo;

Ø  A vitamina D também diminuiu após 12 meses os níveis de ácido úrico sérico (-17,9 µmol/L), gama glutamil transferase (-8,9 UI/L), insulina em jejum (-5,1 pmol/L) e do Homeostatic Model Assessment of Insulin resistence (HOMA-IR) (-1,6).


Conclusão

A suplementação com vitamina D  por 12 meses diminuiu os índices que medem o grau de esteatose e fibrose hepática em pacientes com DHGNA. 


Referências bibliográficas

VESNA, LZ. et al. Vitamin D for treatment of non-alcoholic fatty liver disease detected by transient elastography: a randomised double-blind placebo controlled trial. Diabetes Obes Metab. 2020 Jul 1. doi: 10.1111/dom.14129. Online ahead of print.

 


 


 

Autor(a)

Equipe Técnica Consulfarma
Equipe Técnica Consulfarma
Conhecimento

Nossa equipe quer muito dividir conhecimento com você, por isso postaremos por aqui assuntos relevantes para compartilhar tudo aquilo que é relevante para o mercado magistral. Aproveite!

Consulfarma Ads
Copyright © 2023 - Todos os Direitos Reservados. Confira nossa política de privacidade